Clicky

Onipresente • 01/03/2017 - 08:25 • Atualizado em: 01/03/2017 - 08:32

Sucessos de Troinha marcaram Carnaval de Pernambuco

Seja na carrocinha de som, no rádio dentro do ônibus, na barraca que vende cerveja ou na voz dos foliões, MC Troia foi onipresente na folia do Estado

por Eduarda Esteves
Troinha faz sucesso nas casas de shows do Recife Foto: Paulo Uchôa/LeiaJáImagens/Arquivo
Após a Empresa Pernambucana de Turismo (Empetur) proibir a contratação de artistas de brega para atividades artísticas no Carnaval pernambucano e Gaby Amarantos negar ter convidado MC Troia para se apresentar com ela no Marco Zero, se engana quem pensou que o cantor ficaria de fora dos principais polos da folia do Estado. Além da agenda de mais de 30 shows, passando por eventos privados do Recife e do interior pernambucano na semana carnavalesca, MC Troia parecia onipresente em quase todos os polos do Carnaval do Recife e de Olinda. Quem teve que pegar ônibus para se deslocar até a folia deve ter ouvido a música do artista sendo cantada por grupos de amigos. 
 
Na chegada do Carnaval das ladeiras de Olinda pela Praça do Carmo, os refrões das músicas de Troinha vindos das carrocinhas de som ou dos paredões dos carros estacionados soam como as "boas vindas" ao folião. Quem opta pelo caminho da Prefeitura da Cidade Alta não tem um cenário diferente. Troinha toca em praticamente todos os estabelecimentos comerciais da região.
 
Já por dentro das ladeiras, apesar do frevo e do maracatu predominarem, algumas orquestras até se arriscaram a tocar solinhos das músicas do MC Troia. Sem preconceito, os foliões se animavam e começavam a dançar o ritmo. "O Carnaval não é um momento de segregação, a gente quer é ser feliz", afirmou a foliã Yana Souza. 
 
Enquanto caminha com os amigos pela Avenida Conde da Boa Vista rumo ao Carnaval oficial do Recife, o estudante Daniel Santos fez uma pausa e dançou ao som de da música 'Balança, balança', que já rendeu quase 6,5 milhões de visualizações no Youtube. "Eu acho que o brega é parte da nossa cultura e o som de Troinha anima todo mundo, até mesmo quem não é fã do ritmo. Não dá pra negar isso", comentou o estudante, quanto questionado sobre a ausência do brega pernambucano nos polos oficiais do Recife
 
Em janeiro deste ano, o LeiaJá publicou a reportagem "Sucesso do Recife: conheça MC Troia, o Troinha". Natural do Alto José do Pinho, Zona Norte do Recife, Arthur Felipe da Silva Alves, 26 anos, ganhou fama pela mistura dos ritmos do arrocha, brega e funk. O jovem também ganhou destaque na mídia nacional ao participar do programa global Esquenta, de Regina Casé.
 
Após receber a notícia de que o brega local estaria de fora da programação do Carnaval oficial de Pernambuco, o cantor disse que ficava triste, mas que continuaria trabalhando de forma honesta para o seu público. 
 
O cantor pernambucano Johnny Hooker criticou a ausência de MC Troia e de outros artistas na grade de programação da Prefeitura do Recife. "Acho uma grande injustiça tanto ele (Troia) quanto a galera do brega não estarem na programação oficial também".

Comentários