Clicky

Renda extra • 24/02/2019 - 08:01 • Atualizado em: 24/02/2019 - 08:30

Carnaval é tempo de folia e de empreender

De acordo com o Sebrae, de 2011 a 2018, foi registrado um aumento de mais de 300% na quantidade de microempreendedores individuais do ramo carnavalesco

por Marcele Lima
Ciclo carnavalesco abre oportunidades para quem busca renda extra Chico Peixoto/LeiaJáImagens/Arquivo (Ciclo carnavalesco abre oportunidades para quem busca renda extra)

Carnaval é a época do ano em que as pessoas aproveitam para botar a alegria e a criatividade para fora; colocam o bloco na rua atrás de frevo, samba, confete e serpentina. No entanto, existe uma parcela da população que vê nos festejos de momo uma oportunidade de ganhar dinheiro extra.

De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), de 2011 a 2018, foi registrado um aumento de mais de 300% na quantidade de microempreendedores individuais do ramo carnavalesco. O crescimento teve mais destaque nas cidades do Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

Desempregada desde o início do ano passado, a jornalista Ana Luiza Cavalcanti resolveu empreender e começou a produzir peças que vão compor o visual dos foliões. “Me joguei. Comecei a pensar em algo associado ao Carnaval. E estou fazendo. Eu estou com uma expectativa legal, é um preço tranquilo, material leve e confortável”, comenta a jornalista.

As bijuterias confeccionadas por Ana Luiza possuem muito brilho e algumas delas têm as cores dos blocos mais badalados do Recife e Olinda; os brincos são vendidos a partir de R$10. Para conhecer o trabalho, acesse @bri.lhou no Instagram, onde é possível também fazer encomendas.

Outra pessoa que viu na festividade uma chance de colocar seus dotes culinários ao sabor dos foliões foi a estudante de gastronomia Carla Renata. Junto com um primo, resolveu montar uma barraca para servir comida regional com qualidade, preços acessíveis e boa localização. “O espaço fica No Bonsucesso, em Olinda, a menos de 10 minutos do Homem da Meia Noite. Quem for comer lá não se distancia tanto da folia e volta pronto para mais”, conta a estudante.

Um dos motivos que fez com que os primos se dispusessem a sair de casa para trabalhar em pleno carnaval foi a oportunidade de ter bons lucros com "comida de verdade" vendida em meio à correria das ladeiras de Olinda. “Como a gente é cismado de comer em barraca e como tem tão pouca alternativa, o ponto do meu primo estava parado, pensamos nas nossas experiências com comida e carnaval. Vamos servir macaxeira, cuscuz com charque, galinha, em um ambiente limpinho e com banheiro. Tudo com preços acessíveis”, explica Carla, que ainda confirmou que colocará à disposição do folião sacolés de caipirinha.

Outra forma de aumentar os rendimentos no período de momesmo é o aluguel de imóveis para quem vem de fora. Com os hotéis e pousadas com a expectativa de bater os 98% de ocupação e tarifas compatíveis com a demanda, muita gente resolve abrir as portas des suas casas para receber os turistas. Existe uma demanda por casas no sítio histórico de Olinda.

Cresce também a disponibilidade de imóveis fora do foco da festa. Nos aplicativos de reservas de quartos, casas e apartamentos, é possível visualizar diversos tipos de anúncios, em bairros próximos à Olinda e Recife. O casal Ilana e Lucas Costa mora em um apartamento no centro da capital Pernambucana e antes mesmo de se mudar para o endereço no coração da cidade, já abriu as portas para pessoas de fora do Estado. Este já é o segundo carnaval que os dois vão alugar um quarto para quem está chegando por aqui.

“Quando decidimos abrir nossa casa para o carnaval tínhamos duas ideias em mente: conseguir uma graninha extra para brincar o carnaval e começar o ano mais tranquilos. Podemos mostrar para as pessoas a nossa ótica do carnaval”, afirma Ilana.

Este ano o casal está cobrando uma diária que gira em torno dos R$ 150, em que disponibilizam dois quartos para duas pessoas e outro que comporta até três hóspedes, que têm à disposição banheiro, cozinha compartilhada, tv com aplicativo de filmes e séries e outras comodidades. 


 

Comentários